Últimas Notícias

  • IPCA poderá entrar no cálculo de reajustes de planos de saúde

    Arquivo/Agência Brasil/Agência Brasil

    A diretoria colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) apreciou esta semana proposta de nova metodologia para o reajuste anual dos planos de saúde individuais e familiares. O cálculo teria como base a variação das despesas assistenciais (VDA) e a inflação oficial, calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A decisão final será divulgada após audiência pública, marcada para novembro.

    No novo modelo, o reajuste deixaria de se basear exclusivamente na VDA, mas continuaria sendo composto de uma fórmula única, que reúne as duas variações (VDA e IPCA), com peso de 80% para as despesas assistenciais e 20% para as não assistenciais. A VDA reflete diretamente os gastos com atendimento a beneficiários de planos de saúde, enquanto o IPCA incide nas despesas não assistenciais das operadoras – as administrativas, por exemplo.

    “A intenção da agência é usar uma metodologia no reajuste que reflita mais diretamente a variação das despesas das operadoras nos planos individuais. Além disso, uma vez que os dados utilizados para o novo cálculo são públicos e auditados, o modelo se torna mais transparente e previsível para beneficiários e operadoras”, informou a ANS.

    Há ainda, segundo a agência, outros benefícios, como a redução do tempo entre o período de cálculo e o período de aplicação do reajuste e a transferência de parte dos ganhos de eficiência das operadoras para os beneficiários por meio de reduções no índice.

    A proposta será levada para discussão em audiência pública marcada para 13 de novembro. Entre os dias 8 a 18, será disponibilizado, no portal da ANS, um formulário para receber contribuições daqueles que não puderem comparecer à audiência.

    Alterações na metodologia de reajuste foram tema de audiência pública na ANS em julho. Após dois dias de discussão, operadoras e agência reguladora não chegaram a um consenso.

    Edição: Talita Cavalcante
    Por Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil – Fonte: Agenciabrasil.ebc.com.br
    .
  • URGENTE: Coronel Marcos Rocha está eleito governador de Rondônia

    Foto: Reprodução

    Com 81,01% das urnas apuradas, o Coronel Marcos Rocha (PSL) foi eleito governador de Rondônia com 65,83% dos votos válidos. Expedito Junior (PSDB) tem 34,17%.

    Eleitores escolheram presidente e governadores de 13 estados e do DF

    A votação do segundo turno terminou às 17h na maior parte do país. Aqueles que estiverem na fila das seções eleitorais após esse horário ainda poderão votar. O Brasil tem quatro fusos horários. Por isso, a divulgação das pesquisas de boca urna e da apuração parcial para presidente da República só acontece após as 19h, quando se encerra a votação no Acre.

    Além votar para escolher o próximo presidente do país, em 13 estados e no Distrito Federal, os eleitores votaram para governador.

    Por Agência Brasil e Portal EBC


     

  • URGENTE: Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil

    Fernando Frazão/Agência Brasil/Agência Brasil

    Com 92,08% das urnas apuradas, o Jair Bolsonaro (PSL) está matematicamente eleito como presidente do Brasil. O candidato do PSL está com 55,63%. Fernando Haddad (PT) está com 44,37%.

    Confira o resultado das eleições para presidente

    Neste domingo, 28 de outubro, 147.306.275 eleitores foram às urnas para escolher quem será o presidente da República a partir de janeiro 2019. Os candidatos que disputam o segundo turno das eleições presidenciais são Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) No primeiro turno, Jair Bolsonaro teve 49.275.358 votos (46,03%) e Fernando Haddad teve 31.341.839 (29,28%).

    De acordo com a Lei das Eleições (9.504/97), será considerado eleito o candidato que obtiver a maioria absoluta de votos (50% mais um voto), não computados os votos em branco e os nulos.

    Por Agência Brasil e Portal EBC


     

  • Unir não vai mais exigir ‘carta de aceite do orientador’ para inscrição de candidato em pós-graduação

    A Universidade Federal de Rondônia (Unir) acatou uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF) e não vai mais exigir que os candidatos dos cursos de pós-graduação apresentem ‘carta de aceite do orientador’ como um dos documentos necessários para realizar a inscrição nas seleções de mestrado ou doutorado.

    Na recomendação, o MPF expôs que a exigência da ‘carta de aceite do orientador’ dificulta o acesso de candidatos, principalmente os que são de outros lugares do país que não têm contato prévio com os professores orientadores da pós-graduação. Para o MPF, a exigência da ‘carta de aceite’ para realizar a inscrição é uma “inversão indevida na ordem cronológica do certame” porque impede que a comissão julgadora analise o projeto de pesquisa, o curriculum lattes e os resultados das provas de conteúdo, oral e de língua estrangeira dos interessados em cursar a pós-graduação. O órgão ressaltou na recomendação que a ordem das etapas do concurso tem por finalidade selecionar os melhores candidatos.

    O MPF tem recebido “crescente número de representações (reclamações) que apontam falhas administrativas durante a realização dos certames da Universidade”. Na seleção para mestrado ou doutorado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente em 2017 constou a exigência de ‘carta de aceite do orientador’ como um dos documentos necessários para a realizar inscrição no concurso.

    Em resposta à recomendação do MPF, a Unir informou que nos próximos editais de seleção dos cursos em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e também nos demais cursos de pós-graduação não haverá mais a exigência da apresentação de ‘carta de aceite’ no ato da inscrição preliminar.

    Fonte: Assessoria MPF


     

  • Enem: para se proteger de fake news, aluno deve usar fontes oficiais

    Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Agência Brasil

    O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou hoje (25) uma série de informações para que os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) se protejam de notícias falsas, as fake news. O Enem será aplicado a 5,5 milhões de candidatos em todo o país nos dias 4 e 11 de novembro.

    O Inep orienta os participantes a buscar informações apenas nos canais do Inep ou do Ministério da Educação (MEC), únicas fontes oficiais de informação sobre o Enem. A autarquia ressalta ainda que todo o conteúdo oficial do Enem é identificado com os logotipos do Inep e/ou MEC.

    E-mails cadastrados pelos participantes durante a inscrição e o número de celular são usados apenas para enviar mensagens de caráter urgente ou de alerta por mensagem eletrônica ou SMS. O Inep é sempre identificado como remetente.

    Confira as fontes de informação oficiais sobre o Enem:

    Site do Enem: O enem.inep.gov.br é um site inteiramente dedicado ao exame. Tudo o que o participante precisa saber está organizado de forma cronológica, nas seções Antes da Prova, No Dia da Prova e Depois da Prova. Há também as seções Perguntas Frequentes e Cronograma.

    Aplicativo do Enem: O aplicativo está disponível para os sistemas Android e IOS e pode ser baixado gratuitamente pela App Store e na Google Play. O aplicativo permite acesso ao Cartão de Confirmação da Inscrição; aos resultados individuais e à vista pedagógica da redação. O cartão de confirmação indica o local onde o estudante fará o exame.

    Portal do Inep: Todas as notícias, orientações e comunicados relacionados ao Enem são disponibilizados no endereço http://www.inep.gov.br.

    Sistema Enem e Página do Participante: O Sistema Enem dá acesso à Página do Participante, acessível apenas com CPF e senha. Permite consultar o local de prova e os resultados de todas as edições.

    Redes sociais do Inep: As três redes sociais do Inep, FacebookInstagram e Twitter replicam as principais informações relacionadas ao exame, permitindo que os seguidores de cada perfil tenham acesso facilitado a dicas, orientações e novidades.

    Youtube do Inep: O canal do Inep no Youtube tem uma série de vídeos com orientações ao participante, com as principais informações do edital. O canal tem também uma sequência de vídeos em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

    Fale Conosco do Inep: O atendimento ao público é feito pelo 0800 616161, com ligações gratuitas a partir de telefones fixos, e pela plataforma de autoatendimento online.

    E-mails e SMS: O Inep usa os e-mails cadastrados pelos participantes durante a inscrição e o número de celular, para enviar mensagens de caráter urgente ou de alerta por mensagem eletrônica ou SMS, identificando o Inep como remetente.

    Segundo o Inep, os estudantes podem se informar ainda pela Cartilha do Participante, que detalha o que se espera do candidato na avaliação e pelo edital do Enem, que tem versão em Libras, com todas as regras do exame. Além de veicular publicidade na rádio e TV, o Inep realizará ações nas escolas de ensino médio de todo o país.

    Edição: Denise Griesinger
    Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil – Fonte: Agenciabrasil.ebc.com.br
    .
Close