ASCOM/IFRO

Nos dias 22 e 23 de agosto será realizado o IV Seminário Internacional As fronteiras Agroculturais na Amazônia: histórias contestadas, culturas emergentes, territorialidades nacionais e o I Seminário Regional do Programa de Mestrado em Rede Nacional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT): Educação e Diversidade.

Os eventos serão sediados pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Porto Velho Zona Norte. No dia 23 de agosto, às 19h, haverá apresentação de laboratório do universo sonoro amazônico a partir de uma construção sinestésica. A performance do artista Bira Lourenço tem como título de “Sons de Beira”.

O espetáculo musical foi construído através das pesquisas de sons em ambientes naturais, com laboratórios e audições in loco, relatos de ribeirinhos e indígenas da etnia Karitiana e obras de compositores da região, apresentando um conjunto de timbres e ritmos do cotidiano amazônico pela manipulação de objetos e instrumentos diversos, explorando as possibilidades sonoras, resgatando memórias auditivas de beiras de rios com seus mitos, lendas, causos, afazeres cotidianos, ofícios e brincadeiras, construindo paisagens sonoras que estimulam sensações peculiares a esse universo, propondo ao espectador viver a experiência.

“A expansão da fronteira agrícola sobre a Amazônia tem ocasionado grandes desafios de ordem socioambiental que precisam ser mais bem compreendidos e avaliados. O IV Seminário Internacional As fronteiras agroculturais na Amazônia: histórias contestadas, culturas emergentes, territorialidades nacionais, que o IFRO sediará nos dias 22 e 23 de agosto, é uma oportunidade singular para se fazer essa reflexão. O evento envolverá a comunidade acadêmica e a sociedade civil, na busca de aprimorar o diálogo e ampliar o entendimento sobre a complexidade do paradigma amazônico”, explica a Professora Xênia de Castro Barbosa, que coordena os seminários.

Entre os temas que estarão em discussão estão os desafios da história, da cultura e das identidades amazônicas no contexto de expansão da fronteira agrícola na Amazônia. “As transformações socioambientais que a Amazônia vem enfrentando em função da expansão da fronteira agrícola, da tecnificação, da apropriação capitalista do espaço e traz também importantes desafios no campo educacional: como incluir, efetivamente, os estudantes indígenas, quilombolas, ribeirinhos e imigrantes da pan-Amazônia na Educação Profissional e Tecnológica? Como operar o trato das identidades e das diferenças em nossos espaços pedagógicos? Que mediações fazer para consolidar a aprendizagem desses sujeitos, que nos chegam marcados por experiências diaspóricas diversas? Essas são questões que temos estudado bastante no âmbito do Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) e que serão também discutidas no I Seminário Regional, que ocorrerá de forma integrada ao IV Seminário Internacional de Agroculturas. Tenho certeza que esses eventos irmãos serão uma excelente oportunidade para a reflexão crítica acerca dessa problemática que nos toca enquanto profissionais, pesquisadores e cidadãos”, conclui Xênia.

Por Assessoria de Comunicação e Eventos – ASCOM/IFRO