Foto: Daiane Mendonça/Secom – Governo de Rondônia

O serviço de abastecimento e expansão da rede de água tratada e implantação de rede de esgoto de Ji-Paraná serão decididos pelo prefeito Marcito Pinto e pelos 17 vereadores do município. A concessão do serviço, prestado pela Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd), encerra no próximo dia 18 e caso não seja renovado, a população vai perder os já autorizados R$ 200 milhões de investimentos.

O presidente da Caerd, José Irineu Cardoso, manteve, na quinta-feira (7), audiências com o prefeito Marcito Pinto, com os 17 vereadores e mais o diretor-presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Município de Ji-Paraná (Agerji), Clederson Viana. O objetivo foi de apresentar as propostas da Companhia pela manutenção da concessão. No caso de não ser reformada, o Poder Público municipal deverá tomar providências de assumir a atividade e/ou delegar à iniciativa privada, além de perder os investimentos previstos e em execução pela Caerd e pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os serviços são o abastecimento regular de água tratada, a ampliação da rede de água e implantação do sistema sanitário de rede de esgoto.

“O nosso papel estamos fazendo, que é de alertar aos chefes municipais sobre o prazo da concessão. Reafirmamos nossa proposta em avançar nos serviços, mas a decisão da continuidade da concessão é do poder público municipal”, explicou o presidente José Irineu, adiantando que o prefeito Marcito Pinto “se preocupa com a ruptura da concessão”.

Na audiência, os vereadores pretendem realizar uma audiência pública na próxima sexta-feira para colher opinião dos moradores. “É um ato democrático dos vereadores”, disse o presidente da Caerd, que aguarda o posicionamento dos parlamentares municipais e deve comparecer à audiência pública, caso se confirme, para dar mais explicações aos munícipes.

O presidente da Agerji, Clederson Viana, precisa do posicionamento oficial das autoridades municipais para se manifestar. Porém, o agente fiscalizador da Caerd entende que a manutenção da concessão é importante por vários aspectos. “Dentre eles a continuidade dos serviços de expansão de rede de água e implantação do sistema de esgotamento sanitário”.

Foto: Newton Sérgio/Secom – Governo de Rondônia

A Caerd abastece toda a cidade e os distritos de Nova Colina e Nova Londrina. Nem dois por cento da população de Ji-Paraná dispõe de rede de esgoto. Em dezembro passado, o governo estadual autorizou o início das obras do esgotamento sanitário que deve atender a 100% da população.

Doenças como febre tifoide, cólera, diarreias, esquistossomose e até hepatite podem ser adquiridas em contato com água contaminada, um ainda sério problema de saúde pública no Brasil. A parcela da população que utiliza água não tratada, como poços, vertentes ou fontes naturais, devem ferver a água, por pelo menos, cinco minutos ou adicionar duas gotas de hipoclorito de sódio a 2,5% em cada litro de água deixando em repouso por 30 minutos antes do consumo. O hipoclorito é distribuído gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúdes.

A limpeza e desinfecção de poços, reservatórios e caixas d’águas devem ser realizadas, no mínimo, uma vez por ano. Agentes de saúde, recomenda a limpeza a cada seis meses. No caso das caixas d’água a limpeza é fundamental para a manutenção da qualidade e potabilidade da água tratada fornecida pela Caerd que chega aos domicílios.

Fonte: Paulo Sérgio / Secom – Governo de Rondônia