Política

Mariana Carvalho preside sessão para debater Primeira Infância

A deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) presidiu nesta quinta-feira (19), no plenário da Câmara dos Deputados, a Comissão Geral para debater direitos e políticas públicas da Primeira Infância. A deputada é uma das vozes mais atuantes no Congresso no avanço das conquistas de crianças de zero a seis anos. Segundo especialistas, é nesta fase que as crianças precisam de oportunidades para que possam desenvolver o máximo de aptidões.

“Primeira infância deve ser um tema fundamental em qualquer debate. Não adianta discutir segurança pública ou a saúde, mas esquecer que a principal mudança na vida de todos acontece nos primeiros anos de vida. Milhões de crianças no mundo não conseguem atingir pleno potencial cognitivo porque estão envolvidas por pobreza e subnutrição”, esclareceu a congressista.

Além dos investimentos para o tema, Mariana ressaltou que pensar em políticas públicas para as crianças é fundamental para aproveitar o dinheiro público investido. Segundo a deputada, no Brasil, tradicionalmente crianças de classe alta atingem o pleno desenvolvimento, enquanto a maior parte da população não consegue vagas em creches ou pré-escolas.

“A creche não pode ser um mero lugar onde os país deixam as crianças enquanto saem para trabalhar. Toda escola precisa dar desenvolvimento, qualidade de ensino, ensinar o potencial que cada um tem. Se pudermos mudar o início da história, vamos mudar a história inteira”, avaliou.

Para se especializar no tema, Mariana Carvalho fez o curso de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância, na faculdade norte-americana de Harvard, uma das mais importantes instituições de ensino do Mundo.

Esperança

As políticas públicas para a Primeira Infância têm avançado no Brasil. Quem afirma é Vital Didonet, um dos maiores especialistas em educação infantil do país, e que esteve na sessão no Plenário Ulysses Guimarães. Segundo Didonet, há poucos anos o tema não era assunto do interesse público e da legislação, mas essa realidade mudou após pressão social e a representatividade no Parlamento.

“Progressivamente a criança ganhou espaço na representação social. Espaços como a Câmara são fundamentais para avançar com esses direitos. As leis estão muito mais avançadas, e a estrutura do poder público melhorou. Mas claro, ainda há muito a ser feito. O Brasil ainda tem uma infância de contrastes entre as classes mais ricas e pobres”, analisou Didonet.

Estiveram presentes o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, e os deputados JHC, Felipe Bornier, e Pedro Cunha Lima. Os parlamentares também concluíram o curso em Harvard ao lado de Mariana Carvalho.

Fonte: Augusto Berto – Objetiva Assessoria

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close