Semed capacita assistentes do Programa Mais Alfabetização

Porto Velho – A Secretaria Municipal de Educação (Semed) iniciou esta semana a capacitação dos assistentes voluntários que darão suporte aos professores alfabetizadores das turmas de 1° e 2° ano do Ensino Fundamental I, da rede de ensino da capital. As inscrições para seleção de assistentes foram efetivadas em maio deste ano.

Os participantes fazem parte do Programa Mais Alfabetização (PMALFA) do Ministério da Educação que, considerando os baixos índices de alfabetização apontados pela Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), busca promover a alfabetização efetiva de todas as crianças na idade certa – até o 2° ano do Ensino Fundamental, conforme orienta a Base Nacional Comum Currricular – BNCC.

O objetivo do programa é fortalecer e apoiar as unidades escolares no processo de alfabetização – para fins de leitura, escrita e matemática.

Em Porto Velho, a previsão é de que o programa atenda 91 escolas municipais, conforme liberação de recursos do FNDE.“A capacitação dos assistentes érelevante para que, junto ao professor titular da classe de alfabetização, os assistentes possam contribuir de forma significativa com o processo de ensino e aprendizagem”, disse Glória Melo, diretora da Divisão de Formação da Semed (Difor).

Nas escolas consideradas não vulneráveis, os assistentes receberão R$ 150,00 mensais para cada turma em que atuarem por cinco horas semanais. Nas escolas consideradas vulneráveis, eles receberão R$ 300,00 mensais para cada turma em que atuarem por dez horas semanais, podendo chegar a R$ 1.200,00 mensais para atendimento de 40 horas semanais com o número máximo de turmas.

O perfil exigido na seleção foi o de profissionais com formação superior em Pedagogia e outras licenciaturas, estudantes de graduação preferencialmente dos cursos de Pedagogia, com formação em magistério de nível médio e com formação em Ensino Médio.

A capacitação dos assistentes é promovida pela Divisão de Formação (DIFOR) e a Divisão de Monitoramento (DIAGEM), do Departamento de Políticas Educacionais da Semed.

Glória destaca que o MEC normatiza que para ser considerado alfabetizado em Língua Portuguesa, o estudante deve compreender o funcionamento do sistema alfabético de escrita, construir autonomia de leitura, compreender e produzir textos. Da mesma forma que para ser considerado alfabetizado em matemática, ele deve aprender a raciocinar, a representar, a comunicar, a argumentar, a resolver problemas em diferentes. “E todas essas orientações estão sendo reforçadas na capacitação”, finalizou.

Fonte: Comdecom



Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*