Porto Velho

Semagric estuda implantação do projeto Balde Cheio na capital

Porto Velho – O subsecretário municipal da Agricultura e Abastecimento, Francisco Evaldo de Lima, acompanhou neste fim de semana o analista de transferência de tecnologia da Embrapa, Rhuan Amorim de Lima e o engenheiro agrônomo João Rosseto Júnior, até a propriedade da produtora Jucélia Dias, no sítio 3 Corações, Linha Triunfo, em Candeias do Jamari, onde os técnicos fizeram uma uma análise de desempenho da propriedade que, em 10 hectares já chegou a produzir 115 litros de leite por dia e hoje retira apenas 15 litros.

A ideia é avaliar os motivos da significativa queda na produção e aplicar na propriedade o projeto “Balde Cheio” para melhorar o rendimento. Rhuan Amorim explica que o projeto leva à pequena propriedade familiar metodologias de transferência de tecnologia com o intuito de contribuir para o desenvolvimento da pecuária leiteira local. “A proposta é capacitar profissionais de extensão rural e produtores de leite, promovendo o intercâmbio de informações durante as ações executadas dentro da propriedade”.

E foi esse projeto que o engenheiro agrônomo e instrutor do “Balde Cheio”, Rosseto Junior foi mostrar à produtora Jucélia Dias. “Quero em pouco tempo melhorar a produtividade, principalmente organizar administrativamente o meu controle de custos, para poder crescer a produção do sítio”, disse Jucélia.

Rosseto Junior fez uma breve explanação sobre o trabalho executado em propriedades rurais desde o final de 2008, por meio do projeto Balde Cheio, para transferência de tecnologia em propriedades de produtores que realmente estejam focados na produção leiteira de alto rendimento.

“Foram implantadas seis unidades demonstrativas nos municípios de São Felipe do Oeste, Jaru, Cacaulândia, Pimenta Bueno, Theobroma e seis unidades assistidas em Parecis, Espigão do Oeste, Ouro Preto do oeste, Rolim de Mouras, Nova Brasilândia do Oeste e Cacoal. Esse trabalho vem apresentando grandes resultados, fazendo com que o produtor enxergue a propriedade como sua fonte de renda. O produtor tem que conseguir viver, e viver bem, da propriedade”, diz Rosseto Junior.

De acordo com Evaldo Lima, o papel da Semagric nesse contexto é muito importante, não somente na execução do projeto, mas também no intercâmbio de experiências entre técnicos e produtores. A perspectiva é que o Balde Cheio possa contribuir para que pequenos agricultores familiares possam dinamizar suas atividades e crescer economicamente com ela. O objetivo é formar parceria com Embrapa e disponibilizar técnicos para orientação e acompanhamento da atividade.

“Aliar tecnologia à mudança de atitude e de pensamento do produtor é a chave para promover o desenvolvimento sustentável no campo. Esse projeto será um ganho significativo na produtividade e na lucratividade das propriedades”, avaliou Evaldo Lima.

Fonte: Semagric

COMENTAR

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close