Secretário Licório, equipe técnica e gestores escolares se unem para resolver demandas da Educação na capital

“Gabinete de portas abertas”. É assim que o secretário Municipal de Educação, César Licório, expressa sua forma de trabalhar e que tem recebido elogios por parte dos gestores escolares que tem ido até à Semed em busca de soluções para as demandas de suas unidades. São escolas e creches espalhadas pela região urbana e rural de Porto Velho que necessitam de atenção.

“São muitos problemas enfrentados pelos gestores que, em boa parte, não tem autonomia para resolver a situação, a exemplo de falta de merendeiras, professores, além de reformas e/ou ampliação da estrutura. Demandas essas que estamos recebendo e encaminhando para resolução”, disse Licório.

O secretário relatou que está recebendo visitas de gestores, mas tem feito questão de ir até as unidades tanto da área urbana quanto rural para ver a realidade de perto. Na última sexta-feira, 15, por exemplo, ele esteve na escola do distrito de Joana D’Arc. Nessa localidade, ele se reuniu com um grupo de moradores que solicitava a mudança na direção da instituição escolar.

“Sentamos com boa parte dos moradores e com os servidores para encontrar uma solução. E ao final, um professor da unidade foi indicado, pela maioria presente, para assumir a missão. Claro que estaremos monitorando para saber se a gestão está funcionando a contento e se a comunidade está satisfeita”, esclareceu.

Auta de Souza

Já nesta quarta-feira, 20, a diretora da Escola Auta de Souza, localizada no Bairro São Francisco, solicitou que a Semed estudasse a possibilidade de mudar o prédio da unidade. “O prédio não é próprio, é cedido, e não temos autonomia para fazer mudanças, e nem atividades culturais que tenham movimentação da comunidade no ambiente, a exemplo de arraial e torneios”, relatou a diretora Maria Helena, que elogiou a postura do secretário em receber cada gestor, ouvir as demandas e buscar uma alternativa.

O secretário encaminhou para a equipe técnica a avaliação de um novo prédio, que comporte as 420 crianças, de 02 a 5 anos, que estudam em tempo integral e que haja espaço suficiente para as atividades propostas.

Rio Pardo

Já a vice-diretora da Escola de Rio Pardo, Patrícia Regina, também esteve no gabinete do secretário, relatou que a unidade está sem merendeira e sem servidor para os serviços gerais. O secretário explicou que sua equipe técnica tem feito o levantamento de todas as escolas. “Só um concurso público vai resolver o problema. E deve acontecer até o ano vem. Temos demandas por servidores em vários distritos. Já na área urbana, existe uma má distribuição de profissionais”, declarou Licório, destacando que a Semed iniciou um raio-x da Educação para saber quantos servidores existem de fato, onde estão e em quais funções. “Só assim, podemos aproveitar melhor nosso quadro funcional e atender as demandas existentes”, finalizou.

Fonte: Semed/Meiry Santos

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*