Prefeito conhece produção recorde de mudas do viveiro municipal

Porto Velho – Ao registrar neste ano uma produção recorde, o Viveiro Municipal recebeu a visita do prefeito dr Hildon Chaves na manhã de segunda-feira (14),no Parque Natural Olavo Pires. O objetivo principal foi discutir a estratégia para a execução do plantio e distribuição que ocorrerão a partir de outubro.

O prefeito esteve acompanhado do subsecretário do Meio Ambiente, Robson Damasceno, do diretor de Proteção Ambiental, Paulo Regis, do gerente do Parque Natural, Elderlei, da responsável geral pelo viveiro, engenheira florestal Ana Beatriz Compassi e dos servidores do viveiro.

O prefeito foi informado que já foram produzidas 70 mil mudas que serão utilizadas para plantios na área rural e mais de 30 mil mudas para a área urbana. Neste ano o viveiro municipal, que tem por finalidade produzir mudas destinadas a diversos usos dentro do município, como recuperação de áreas degradadas às margens dos rios, bem como o reflorestamento rural e arborização urbana em ruas e avenidas, bateu seu recorde de produção no fomento à preservação ambiental do município.

As orientações de dr Hildon para a gestão ambiental foram no sentido de criar módulos nos bairros com espécies que agreguem qualidade de vida aos munícipes, com cores, formas e que principalmente não afetem as calçadas e rede de esgoto pluvial.

“Vamos escolher alguns bairros para projetos piloto. Podemos plantar Ipê Amarelo nas ruas de um bairro, já no outro utilizamos o Roxo, e em outro, o Jacarandá Mimoso. Precisamos que os cidadãos possam adotar essas mudas. Vamos convidar as crianças, e deixar especificado que aquela árvore está sendo cuidada pelo Joãozinho, pelo Pedrinho e assim em diante”, recomendou o prefeito.

“Apresentei um modelo de vasos muito utilizado fora do Brasil. Observei que é possível plantar pequenas árvores em vasos e trouxe a ideia para ser implementada em Porto Velho. São ações simples, mas que podem trazer embelezamento para nossa cidade”, disse o prefeito.

Segundo Damasceno, o objetivo é produzir anualmente mais de 250 mil mudas para se chegar a marca de um milhão de árvores nos próximos anos, principalmente para ajudar na recuperação de áreas degradadas, nascentes e matas ciliares.

PLANO DIRETOR

De acordo com Ana Beatriz Compasi, a produção atual é de três mil mudas por dia. O viveiro conta com doze funcionários, mas somente dois possuem expertise e experiência em produção e manejo da muda. O viveiro é aberto à visitação pública, onde são produzidos ipê (roxo, amarelo e branco); oiti, usado na arborização urbana por produzir sombra e não soltar a folhagem; capitão do campo; nin indiano, que é plantado geralmente em sítios que tem o efeito repelente e espécies nativas como o tauari, cedro, mogno, virola, seringueira e ainda o cacau do mato, o açaí e o patoá, que fazem parte da família das palmeiras, além de plantas para ornamentação de residências e de jardins.

ARBORIZAÇÃO PÚBLICA

Os locais de plantio urbano estão sendo mapeados para que não fiquem sob as redes de distribuição de energia elétrica e telefonia, nem atrapalhem o passeio público. Para conseguir a doação de mudas o interessado deve dirigir até o Parque Natural e fazer o seu cadastro. Após o registro é apresentado uma lista das espécies disponíveis no viveiro para que ele escolha qual quer levar. Ainda não foi definida a quantidade que cada pessoa pode pegar, mas geralmente fica em torno de 15 a 20 mudas.

Fonte: Sema

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*