Jesuíno Boabaid discute em audiência saúde de servidores da segurança pública

Segundo psicóloga dados apontam alto índice de suicídios dentro das instituições

Na manhã de segunda-feira (26), o deputado Jesuíno Boabaid (PMN) participou de reunião no Plenarinho da Assembleia Legislativa, para tratar sobre a situação vivida por membros da segurança pública de Rondônia.

Participaram da reunião o secretário da Sesdec, coronel Lioberto Caetano, o tenente coronel Agnus Aécio, da Diretoria de Saúde da PM, a psicóloga Gláucia Linhares, o delegado de Polícia Civil, Júlio Ugaldi além de outros membros da Polícia Militar e Civil.

A psicóloga Gláucia comentou que buscou o deputado Jesuíno Boabaid, pois muitos de seus pacientes são policiais e bombeiros militares, além de policiais civis que apresentavam doenças emocionais, tais como o transtorno de pânico e de ansiedade, além do nível elevado de estresse.

“Tenho dados estatísticos que demonstram o alto número de suicídios em nossa região” comentou a psicóloga.

A profissional apresentou ainda um programa de saúde emocional para o servidor da segurança pública, visando trazer qualidade de vida, saúde e bem-estar, com a realização de um treinamento focado em resgate de autoestima para a motivação pessoal.

Os policiais e bombeiros, segundo ela, sofrem com uso de drogas, álcool, morte por câncer, alergia, asma, divórcio e suicídio. Estas são doenças psicossomáticas, termo bastante utilizado quando uma doença física ou não, tem seu princípio na mente. O que leva os pacientes de vários hospitais a uma consulta em conjunto com um psicólogo, psicoterapeuta e psiquiatra.

“O melhor policial é aquele que consegue, antes da sociedade, proteger sua mente, sua emoção de reações agressivas contra si mesmo”, comentou Gláucia.

O deputado Jesuíno comentou, sobre o caso específico de um policial militar, dependente, que por várias vezes já afirmou que irá se matar, reprovando a atitude da Polícia Militar em expulsá-lo da corporação.

“Essa situação não é brincadeira. Nós precisamos cuidar da parte emocional, da saúde física e psicológica dos servidores da segurança pública” comentou Boabaid.

O secretário de Segurança afirmou que é necessário ajudar os órgãos internos e principalmente da Corregedoria, para que não sejam tomadas decisões precipitadas com relação a algumas atitudes psicológicas.

O coronel Caetano comentou ainda, sobre a criação de atendimento nas Unidades Integradas de Segurança Pública (Unisp) para atender os servidores que possuam problemas emocionais, vindo a pedir o apoio do deputado Jesuíno.

Sobre a Superintendência de Estado de Política Sobre Drogas (Sepoad), que atende dependentes químicos da sociedade em geral, o secretário declarou que seria de grande valia a parceria para que possa também atender aos servidores públicos.

“Estamos tentando olhar para a segurança pública de uma forma mais humana” relatou o secretário Lioberto.

Boabaid relatou ao secretário de Segurança, que se necessário, destinará emenda parlamentar para atender projetos que visem ajudar os servidores.

O coronel Agnus comentou que em 1997 foi comentado que “a Polícia estava doente”, mas os governantes não foram sensíveis e não contrataram psicólogos, para a Polícia Militar, vindo a ingressar tais profissionais recentemente.

“Nós estamos na fase de diagnóstico nos batalhões, mas há uma enorme resistência dos policiais buscarem o tratamento”, informou o coronel Agnus.

Para ele, seria de suma importância a presença de um psicólogo em cada batalhão, para que os militares comecem a se acostumar e buscar ajuda.

O deputado Jesuíno Boabaid finalizou a reunião afirmando aguardar a apresentação de projetos, que visem ajudar os servidores, reiterando seu compromisso em colaborar, através de emenda parlamentar para a realização de cursos, aquisição de equipamentos e demais projetos.

Fonte: ALE/RO – DECOM



Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*