Evento internacional de classificação de solos acontece em Rondônia

A segunda excursão da 12ª Reunião Brasileira de Classificação e Correlação de Solos, reconhecida entre seus membros por RCC, será realizada em Rondônia de 2 a 8 de agosto, percorrendo 10 municípios. Nessa segunda edição da expedição no estado, são esperados cerca de 30 especialistas. Além de profissionais de todas as regiões do País, o evento também contará com a participação de pesquisadores de países como Estados Unidos, Suíça, Letônia, Rússia, Hungria, Itália, Japão, e Austrália. Com esta reunião de especialistas em Rondônia, é possível promover estudos aprofundados sobre os solos do estado. “São informações sobre os solos de Rondônia que não existiam e que agora estão sendo estudadas e catalogadas”, destaca o pesquisador da Embrapa Rondônia, Paulo Wadt.

Estes profissionais vão aprofundar o conhecimento sobre as potencialidades e limitações dos solos do bioma Amazônia, gerando informações que possam auxiliar em técnicas de conservação do solo, especialmente em atividades agropecuárias, assim como estimular o desenvolvimento de pesquisas em solos e o intercâmbio entre pesquisadores e professores. Esta atividade é relevante para o aprimoramento do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS), ferramenta importante para o planejamento de atividades econômicas em nível local, regional e nacional, e também para a gestão de recursos naturais: solo, água e vegetação.

Segundo o pesquisador Paulo Wadt, ao se conhecer melhor os solos da Amazônia, especificamente de Rondônia, suas variabilidades e diferenças, consegue-se entender melhor quais as tecnologias mais adequadas e também como transferi-las para outras regiões do estado. “Há uma visão de que todos os solos da Amazônia são uniformes, de baixa fertilidade. Mas a gente consegue demonstrar nestes estudos exploratórios que não é assim, pois vemos variabilidade e diferenças. Só conhecendo os solos que conseguimos fazer estas análises”, relata Wadt.

Excursões

Uma particularidade das RCCs é que elas não ocorrem em auditórios ou dentro de instituições, mas leva especialistas da área de pesquisa, desenvolvimento e ensino superior nos locais de ocorrência dos solos a serem discutidos e debatidos. Ou seja, o evento é uma atividade itinerante e que irá percorrer os principais ambientes de Rondônia. O percurso da viagem foi escolhido cuidadosamente para abranger a variabilidade de solos do estado e contemplará as regiões de Porto Velho, Machadinho d’ Oeste, Ariquemes, Ouro Preto do Oeste, Rolim de Moura, Alta Floresta d’Oeste, Pimenta Bueno, Colorado d’Oeste, Cabixi e Vilhena.

A primeira excursão da RCC em Rondônia aconteceu em setembro de 2017 e resultados já foram obtidos. Foi possível conhecer solos com características químicas que não se tinha conhecimento até então, como os Latossolos Amarelos, da região de Machadinho d’Oeste e Ariquemes, que são diferentes de todos os já conhecidos. Segundo o pesquisador, eles têm características que podem, por exemplo, necessitar de um manejo da acidez de solo de uma forma não convencional e isso só foi possível por meio de diversas pesquisas realizadas. Também se descobriram Latossolos na região do Vale do Guaporé com condições hidrológicas que não existe em outras regiões do Brasil. Isso também leva a condições de manejo diferenciadas desses solos.

A 12ª Reunião Brasileira de Classificação e Correlação de Solos é promovida pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (SBCS) e Congresso Mundial de Solos, sendo realizada pela Embrapa, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), CAPES, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Universidade Federal de Rondônia (Unir), Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e Instituto Federal de Rondônia (Ifro). Conta também com o apoio da Rical e TerrAs.

Programação da 12ª RCC 

As atividades da Reunião terão início no dia 2 de agosto. A comitiva irá a campo, percorrendo os diversos municípios de Rondônia. Confira abaixo o roteiro:

2/8 – Porto Velho

3/8 – Ariquemes e Machadinho d’Oeste

4/8 – Ouro Preto do Oeste e Rolim de Moura

5/8 – Alta Floresta D’Oeste e Pimenta Bueno

6/8 – Vilhena e Colorado D’Oeste

7/8 – Cabixi

8/8 – Retorno à Porto Velho

Fonte: Renata Silva



Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*