ESTADO DIGITAL – Infoparty deve atrair mais de sete mil pessoas em Porto Velho

A 2ª edição da Inforparty foi lançada na manhã desta segunda-feira (13) com a presença do governador Confúcio Moura e da imprensa de Porto Velho. O evento contará com competições de robôs, games, startups e discussões de fomento tecnológico com a participação de palestrantes de renome nacional e internacional como uma das mais conhecidas cientistas brasileiras no exterior Duília de Melo.

Serão mais de 50 atividades em 48 ininterruptas com início na sexta-feira (17) e encerramento no domingo (19) em uma estrutura com tendas climatizadas montada no estacionamento do Palácio Rio Madeira. O investimento é de mais R$ 2 milhões, iniciativa de um governo que acredita que esse é o caminho para garantir uma economia criativa com base em ciência e tecnologia e um futuro competitivo para o Estado.

‘‘Essa feira demostra a nossa vontade de crescer, de nos atualizar e de nos incorporar a esse mundo admirável que existe [da ciência e tecnologia]. É um desafio por isso estamos chamando os estudantes e todos para participar de criações interessantes. Ainda não nos comparamos a um Vale do Silício e outros centros fantásticos, mas nós temos vontade de chegar lá e essa vontade significa muito. Queremos que isso seja incorporado não no governo porque governo passa, mas que seja incorporado na população’’, afirma o governador.

Para o superintendente de Comunicação Domingues Júnior, o governo tem o desafio de governar para as mais diferentes gerações desde a dos nossos avós e pais às das crianças que já nascem digitais. Domingues afirma que é preciso quebrar paradigmas e a Infoparty é uma importante estratégia para isso como projeto educacional que vê na ciência e nas inovações tecnológicas novos caminhos para evoluir na construção do desenvolvimento sustentável do Estado.

E a população  tem demostrado interesse em aproveitar todas essas discussões tecnológicas. Reflexo disso é que muitas palestras e competições já estão com vagas preenchidas. ‘‘As vagas se esgotaram para as mais de 30 palestras de sala e algumas palestras de palco e para se ter uma ideia para essas são disponibilizadas mais 500 vagas. Games e competições estão com inscrições encerradas, mas quem não se inscreveu poderá visitar’’, afirma a superintendente de Assuntos Estratégicos (Seae).

COMPETIÇÕES

O evento é dividido em eixos temáticos: Coliseu – games, Espaço Startup, Empreendedorismo e Workshop, Inovação e Cultura Digital, Competição de Robótica, Ciência e Tecnologia. Os melhores classificados na competição de games, robótica e no Rackathon serão premiados.  Inclusive o finalista dos games na categoria LOL terá a oportunidade de desafiar Gabriel Kami, jogador do Pain Gaming, único time bi-campeão do campeonato brasileiro de LOL.

Este ano o desafio Rackathon, lançado pelo governo, é a criação de um software que mapeie os pontos turísticos do Estado. Serão entregues ultrabooks para as três equipes finalistas e R$ 15 mil para equipe vencedora. Além disso, os startups que se destacarem nesta edição do Infoparty farão parte da incubadora pública e a partir de janeiro devem começar o processo para potencializar ideias.

Segundo o diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação (Detic), Fábio Folly, serão disponibilizados para o evento 2 GB de velocidade de internet. O que é possível devido a Infovia, a infraestrutura de comunicação por fibra ótica com internet de alta velocidade implantada pelo governo.

‘‘Queremos com esse evento despertar a população de Rondônia para esse mundo. Estamos vivendo uma transformação e se a gente ficar de fora as consequências serão mais graves do que muitos imaginam. Existem muitas oportunidades de negócios em cima dessa transformação digital’’, avalia.

De acordo com a superintendente da Seae, a expectativa é que a Infoparty atraia mais de sete mil pessoas não só do Rondônia, mas também de estados vizinhos como Acre, Amazonas e Mato Grosso. ‘‘Não há essa discussão na região Norte, o governo de Rondônia está indo na contramão dos outros governos e até do governo federal. Enquanto estão esgotando os investimentos em ciência e tecnologia no Brasil, o Estado de Rondônia está investindo nisso’’, aponta a superintendente.

Fonte: Secom – Governo de Rondônia

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*