Equipe com 70 profissionais atua nos estados fortalecendo gestão do Mais Médicos

As Referências Descentralizadas são importantes no atendimento de médicos e gestores nos municípios

Além dos médicos que atendem a população nos municípios pelo Programa Mais Médicos, existem muitos outros profissionais que ajudam a fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS).

São estudantes, enfermeiros, agentes de saúde, voluntário, entre outros profissionais, além das chamadas referências descentralizadas nos estados. Ao todo são 70 pessoas que fazem a ponte entre os profissionais do programa Mais Médicos e o Ministério da Saúde. E eles têm muitas funções desde os primeiros passos nas etapas de adesão ao Programa por médicos e gestores até as fases de término do clico dos profissionais.

As referências descentralizadas também articulam com gestores municipais questões como deslocamento de profissionais dos aeroportos aos municípios de atuação, dão suporte ao setor de pagamento de bolsa aos profissionais, articulam com a gestão do Programa a realização de avaliações in loco.

São nessas avaliações nos locais de trabalho dos profissionais que as referências descentralizadas observam desde a infraestrutura das Unidades Básicas de Saúde (UBS) a questões como a atuação e o cumprimento de carga horária dos médicos, conduta e possíveis problemas de saúde dos profissionais.

As informações coletadas são informadas diariamente ao Departamento de Planejamento e Regulação da Provisão de Profissionais de Saúde (DEPREPS), responsável pela gestão do Programa Mais Médicos dentro do Ministério da Saúde.

Para o diretor – substituto do Depreps, Paulo Ricardo silva, as RDs, como são conhecidas, são um braço do Depreps nos estados. “As Referências Descentralizadas são responsáveis pelo monitoramento do contingente de médicos no programa. Elas (as referências) têm que quantificar, qualificar, além de monitorar a cobertura do Programa nos municípios. Essa atividade integra a estratégia prioritária do Sistema Único de Saúde e do Ministério da Saúde”, reforça o diretor-substituto.

As RDs ainda têm como papel promover e participar de reuniões periódicas com as Comissões de Coordenação Estadual do Programa.

No ano passado, o Depreps e as RDs se encontraram em Salvador (BA) para participar da Oficina de Integração e Alinhamento das Referências Centralizadas, juntamente com a equipe que atua no Ministério da Saúde, e as descentralizadas.

Foto: Divulgação SGETS

Por Ivana Sant’Anna, do NUCOM/SGTES – Fonte: Portalms.saude.gov.br

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*