Desaba parte de viaduto do eixo rodoviário de Brasília

Uma parte de um viaduto da principal via de Brasília – o Eixão Sul – desabou há alguns minutos no centro da capital federal. Uma viatura do Corpo de Bombeiros já está no local. Não há, até o momento, informações sobre vítimas. A estrutura fica perto do Setor Comercial Sul e do Setor Bancário Sul. O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, chegou ao local para acompanhar as ações.

O desabamento ocorreu por volta do meio-dia em um local de grande circulação, atingindo parcialmente um restaurante. O local é usado como estacionamento pelas pessoas que trabalham em prédios próximos. Os motoristas foram autorizados a fazer a retirada dos veículos que estão perto da parte que desabou.

No último domingo (4), um outro desabamento ocorreu na garagem de um prédio localizado na 210 Norte, em meio às chuvas intensas que tem atingido a cidade.

Não há ainda qualquer informação sobre se o acidente de hoje (6) tem relação com essas chuvas.

A parte do viaduto que desabou é toda faixa da pista no sentido Asa Norte. Neste momento, o eixo rodoviário está interditado ao tráfego.

Em 2013, uma auditoria do Tribunal de Contas do Distrito Federal detectou fragilidades em diversos monumentos de Brasília, entre elas o viaduto. Na oportunidade, a equipe de vistoria recomendou que a obra fosse reformada.

Governador

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, esteve no local do acidente. Segundo ele, o governo centrará esforços na recuperação da área. “Estamos avaliando o que fazer para recuperar o viaduto. Todos os órgãos de governo que podem contribuir estão aqui”, disse Rollemberg, referindo-se à Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e a secretarias de governo.

Perguntado se o governo está fiscalizando adequadamente as estruturas de prédios e vias da capital federal, o governador admitiu que, apesar de áreas próximas ao desabamento terem passado por reforma, não houve manutenção no ponto onde aconteceu o acidente. “Brasília é uma cidade que está envelhecendo. Estamos fazendo obras mas, infelizmente, essa é uma área onde não foi feita manutenção”

*Colaborou Letycia Bond.

Edição: Talita Cavalcante
Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil – Fonte: Agenciabrasil.ebc.com.br


Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*